Blake Lively Brasil

Blake Lively conversou com a revista britânica Psychologies onde falou sobre ser uma adolescente tímida, como ela construiu sua confiança através da atuação, e seu novo filme, The Rhythm Section, no qual ela interpreta uma ex-viciada em heroína. Confira a entrevista traduzida abaixo!

Na superfície, Blake Lively tem tudo isso. Casada com o ator canadense Ryan Reynolds e mãe de James, 4 anos, e Inez, de 2, ela gosta do estilo de vida que vem tendo como uma atriz talentosa de sucesso. Mas, crescendo na Califórnia em uma família do entretenimento, Lively era alta, uma adolescente desajeitada cujas inseguranças eram uma constante fonte de angústia para ela. “Eu era muito tímida ao crescer”, Lively admite. “Eu tive problemas com algumas das outras meninas no ensino médio e, por ser alta, me sentia insegura sobre me destacar na multidão quando eu realmente apenas queria desaparecer e ficar sozinha. Fiquei meio retraída e passei muito tempo sozinha, perdida em meus próprios pensamentos…” Mas foi a atuação que construiu sua confiança. “Foi só quando comecei a fazer aulas de teatro que consegui superar minha timidez em situações sociais. Quando eu tinha 15 ou 16 anos, comecei a me tornar mais extrovertida e a ficar mais entusiasmada com as pessoas; Eu passei tanto tempo sendo essa estranha introvertida, mas no fundo, eu estava ansiosa para me divertir e ser expressiva.”

Foi apenas alguns anos depois que Lively entrou em cena com seu papel como a princesa do Upper East Side, Serena van der Woodsen, na série de TV Gossip Girl. Hoje, ela está curtindo a vida com Reynolds a fama de Deadpool. Enquanto ele revigorou sua carreira com a franquia do “anti-super-herói” de bilhões de dólares, ela manteve uma carga de trabalho estável enquanto criava suas filhas. Alguns de seus filmes recentes incluem Um Pequeno Favor, lançado ano passado, um thriller de mistério co-estrelado por Anna Kendrick; Águas Rasas, no qual ela interpreta uma surfista desesperada tentando sobreviver a um ataque de tubarão; e o drama A Incrível História de Adaline.
O novo filme de Lively, no entanto, o thriller de ação The Rhythm Section, marca uma mudança de ritmo para a atriz, que interpreta uma ex-viciada em heroína, Stephanie Patrick, que transforma sua vida perseguindo as pessoas que orquestraram o acidente que matou sua família. Filmado principalmente em Dublin e Madri, o aguardado filme, dirigido por Reed Morano (The Handmaid’s Tale), é co-estrelado por Jude Law. “Eu andei com policiais em confusões de drogas e passei muito tempo andando por becos conversando com viciados, alguns dos quais eram apenas adolescentes”, explica Lively sobre sua preparação para o papel. “Foi a coisa mais difícil que eu já tive que fazer.”

Nos últimos quatro anos, Lively e Reynolds escolheram morar longe de Hollywood, na pacata cidade de Bedford, no norte do Estado de Nova York, com suas filhas [James é o nome do falecido pai de Reynolds]. Eles também esperam expandir sua família nos próximos anos: “Eu sou uma dos cinco filhos; Ryan é um dos quatro – então somos oficialmente criadores!”
Enquanto isso, o casal optou por seguir suas carreiras de atores com tanta paixão como sempre, cambaleando seus horários de trabalho e acompanhando uns aos outros nos sets com as crianças a tiracolo. “Decidimos que não seríamos separados como uma família, por isso apenas fazemos uma casa para nossas filhas em qualquer lugar em que estivermos filmando”, disse ela.
Lively revelou recentemente que, muito antes de se envolverem romanticamente, ela sentiu que havia algo especial em seu relacionamento com Reynolds. “Eu sabia que ele seria meu melhor amigo durante toda a minha vida. Essa foi a maior coisa para mim. Eu nunca conheci nada como a amizade que tive com ele. Eu gostava dele tanto quanto vim a amá-lo.”

Inicio > Scans de revistas | Magazine Scans > 2019 > Psychologies ( Reino Unido) – Abril

 

A Entrevista

Você parece ter uma personalidade bastante positiva. Essa é a sua natureza?
Isso veio da minha mãe. Ela sempre dizia a mim e a minha irmã: “Onde há uma vontade, há um jeito”. Isso serve como meu mantra pessoal quando as coisas se complicam na vida e você quer sentir pena de si mesma. Eu tento não me deixar chegar lá porque isso não faz bem a você, e é nessa hora que você precisa se energizar ainda mais, em vez de ficar lamentando. Eu geralmente estou de bom humor e gosto de pensar que trago um clima positivo para as pessoas ao meu redor.

Mesmo que você tenha confessado ter sido tímida e desajeitada quando jovem, você teve uma perspectiva otimista sobre as coisas, mesmo naquela época?
Mesmo sendo uma menina, eu pensava: “É um bom dia para ser feliz!”, esse tipo de sentimento e pensamento permaneceu comigo a vida inteira e espero nunca perdê-lo. Se você tem autoconfiança e um forte senso de determinação, então as coisas boas vão acontecer com você. Você pode fazer sua própria sorte, mesmo quando a vida lançar obstáculos no caminho.

Você se sente mais confiante com a idade, o sucesso e a vida que você fez como esposa e mãe?
Confiança é uma coisa estranha às vezes. Tive a sorte de ter crescido em um lar seguro com uma família que era muito solidária e amorosa. Então, como um adulto jovem, quando você está vivendo sozinho e fazendo o seu caminho na vida, você pode perder essa confiança, especialmente neste negócio onde a mídia muitas vezes tenta derrubá-lo e algumas pessoas sentem prazer em criticar seu trabalho. Então, isso faz você se questionar; várias dúvidas começaram a rastejar na minha cabeça, mesmo que eu estivesse em uma série de TV de sucesso. Eu passei por tantas pesquisas de almas e levei vários anos para recuperar minha confiança. Mas eu também acho que muito disso tem a ver com lutar para descobrir quem você é, especialmente aos 20 anos.

Você superou sua tendência à timidez em ocasiões sociais?
Estou muito menos inibida e mais aberta com as pessoas do que quando era mais jovem. Atuação fez isso por mim… Mas ainda demoro para fazer amigos. Não sou o tipo de pessoa que conhece alguém e, depois de alguns minutos, quero trocar números de telefone. Leva algum tempo para me sentir confortável com alguém.

Como você se sente em se apresentar em filmes com enredos obscuros – o violento Selvagens [dirigido por Oliver Stone] e sua personagem conturbada em The Rhythm Section?
Eu consigo me projetar em todos esses espaços escuros e entrar em muitos estados psicológicos pesados. Isso é o que eu amo em atuar. Isso me ajuda a me entender melhor e não apenas a ficar no meu mundinho confortável. Eu sou uma pessoa muito feliz, mas é muito mais interessante interpretar mulheres atormentadas que têm que lutar na vida. Eu sinto que toda vez que eu termino um filme eu me torno uma pessoa mais forte e que se esforçar ao máximo deixa você se sentindo muito mais confiante e menos medroso.

Além do trabalho, você continuou a se entregar à paixão por cozinhar ao longo dos anos… [Lively trabalhou como chefe de confeitaria no célebre restaurante Per Se em Nova York em seu aniversário de 23 anos e Reynolds faz referência às proezas de sua esposa na cozinha.]
Eu gosto de dizer às pessoas que sou realmente uma cozinheira por natureza e uma atriz por acidente! Eu sinto que tenho um dom natural para cozinhar. Eu posso ficar incrivelmente apaixonada por criar pratos interessantes e aprender como preparar comida e criar diferentes sabores e gostos. Eu amo cozinhar para os meus amigos e posso passar horas na minha cozinha
experimentando várias ideias e aprendendo a inventar refeições com atenção aos detalhes e bom gosto.

Você está curtindo a vida de casada?
Tem sido maravilhoso. Ryan e eu gostamos de fazer tudo juntos. Ele adora me ajudar a escolher as coisas para a casa, ele está interessado em todos os tipos de culinária, e ele diz que ama tudo o que eu cozinho para ele – ele é um mentiroso tão bom! Ajudamos uns aos outros quando estamos preparando nossos personagens para um novo filme também. É ótimo ser parceiro assim com alguém que você ama.






Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *